Contabilidade eleitoral é oportunidade para ampliar leque de serviços 2

Contabilidade eleitoral é oportunidade para ampliar leque de serviços

Garantir a transparência das contas de candidatos a cargos públicos é papel da contabilidade eleitoral, mas é importante conhecer com detalhes as regras e prazos

 

A transparência e a confiabilidade das contas são fundamentais em todos os setores, mas se tornam ainda mais importantes quando o assunto é a prestação de contas de um candidato a um cargo público. Nesse cenário, a contabilidade eleitoral é uma oportunidade para o escritório contábil ampliar seu leque de serviços, conquistar mais clientes e, assim, contar com mais um recurso para driblar o período de crise.

Em 2020, devido à pandemia do coronavírus, as eleições para escolha de prefeitos e vereadores foram adiadas para os dias 5 de novembro, no caso do primeiro turno, e 29 de novembro, para as cidades que tiverem o segundo turno. Ou seja, ainda dá tempo de garantir mais clientes com esse perfil para o seu escritório contábil. Porém, para que a estratégia da contabilidade eleitoral obtenha sucesso, é preciso seguir algumas dicas. Listamos três delas abaixo:

 

1- Conheça bem as regras da contabilidade eleitoral

Desde 2014, o contador está entre os responsáveis por atender as especificidades das contas eleitorais, inclusive assinando-as de forma a garantir a credibilidade dos dados. Portanto, é fundamental que o profissional que prestar esse tipo de serviço esteja familiarizado com a legislação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que trata da arrecadação e dos gastos de partidos políticos, comitês financeiro e candidatos, bem como da prestação de contas das eleições.

Entre as regras que o escritório que pratica a contabilidade eleitoral precisa cumprir estão: registrar toda movimentação de recursos de campanha em sistema específico e divulgá-la na internet em até 72 horas; informar a origem e o destino de recursos financeiros ou bens estimáveis em dinheiro (imóveis, móveis, material impresso e cessão de uso de veículos, por exemplo); garantir que todos os valores passem por conta bancária aberta exclusivamente para a campanha eleitoral, o que é realizado após o candidato providenciar o seu próprio CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica); entre outras.

Para mais detalhes, você pode baixar gratuitamente a Cartilha da Contabilidade Eleitoral, elaborada pelo Conselho Federal de Contabilidade e que reúne as orientações e explanações práticas sobre a legislação relativa ao processo eleitoral no País.

 

2- Selecione o perfil do candidato-cliente

Política é um assunto que costuma ser polêmico. Portanto, na hora de fazer a contabilidade eleitoral, é indicado escolher candidatos alinhados aos valores do escritório. Uma forma de garantir boas escolhas é que, antes de aceitar o cliente, você pesquise quem ele é, qual o tipo de atuação fora da vida pública, se já esteve envolvido em irregularidades, se há processos judiciais contra ele e quais são os motivos e, no caso daqueles que já concorreram em outros pleitos, quais foram os resultados da prestação de contas.

Todo esse cuidado garante que você estará preservando um bem precioso para o escritório contábil, que é a reputação. Afinal, a sua marca precisa continuar forte mesmo após o período eleitoral – o que nos leva para a próxima dica.

 

3- Fique atento aos prazos – do candidato e dos demais clientes

É fato que a contabilidade eleitoral gera oportunidades de ampliar a carteira de clientes do escritório contábil. Porém, é crucial garantir o equilíbrio, a fim de prestar o melhor serviço tanto para os candidatos, que têm prazos específicos e mais apertados, quanto para os clientes recorrentes.

Nesse sentido, a tecnologia pode apoiar o contador. Os sistemas de gestão para contabilidade podem facilitar os processos de controle de recursos, garantindo o cumprimento de datas e obrigações tanto para os candidatos quanto para os demais empresários.

Alguns prazos importantes para a contabilidade eleitoral são: as contas dos candidatos, relativas ao primeiro e ao segundo turnos, devem ser apresentadas até o dia 15 de dezembro à Justiça Eleitoral, que deverá publicar a decisão dos julgamentos até o dia 12 de fevereiro de 2021. A data da diplomação dos eleitos será 18 de Dezembro, e a posse segue em 1º de janeiro de 2021.

 

Com essas dicas é possível conquistar mais clientes no período de campanha e, ao mesmo tempo, garantir a qualidade da contabilidade eleitoral – um serviço que é fundamental para a nossa sociedade, auxiliando, inclusive, no combate à corrupção.

Contabilidade eleitoral é oportunidade para ampliar leque de serviços 3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Font Resize
WhatsApp chat